Crítica: Meu Malvado Favorito

meu malvado favorito

Meu Mal­va­do Favorito (Despi­ca­ble Me, EUA, 2010), dirigi­do por Pierre Cof­fin e Chris Renaud, é a estreia do estú­dio de ani­mações da Uni­ver­sal, a Illu­mi­na­tion Enter­tain­ment. E, difer­ente­mente das histórias con­tadas nor­mal­mente, o per­son­agem prin­ci­pal des­ta é um vilão.

Gru (Steve Car­rel) son­ha em ser o maior vilão do mun­do, mas vê sua posição toma­da pelo jovem Vetor (Jason Segel), que rou­ba uma das pirâmides do Egi­to. Para voltar nova­mente ao topo, ele decide que vai faz­er o maior roubo da história: pegar a lua. Como parte do seu plano, ele pre­cisa usar três peque­nas meni­nas órfãs e, dev­i­do a este moti­vo, o seu grandioso dese­jo corre o risco de mudar por algo que nun­ca imag­i­na pos­suir: amor pater­no.

É prati­ca­mente impos­sív­el não com­parar Meu Mal­va­do Favorito com as ani­mações de out­ros estú­dios, como Pixar e Dream­works, e ele aca­ba per­den­do feio. Não por causa da qual­i­dade grá­fi­ca (que é até bem resolvi­da), mas pela for­ma como o con­teú­do foi tra­bal­ha­do. A idéia do enre­do é muito boa, mas os meios para real­izá-la são muito pre­visíveis e os per­son­agens tam­bém são demasi­ada­mente fra­cos. Em ger­al, ele apela para o fofin­ho cuti­cu­ti para cati­var e, tiran­do essas cenas fofu­rixas, aca­ba sendo cansati­vo.

O grande chama­riz de Meu Mal­va­do Favorito são os Min­ions (anãoz­in­hos amare­los), mas no filme em si, eles prati­ca­mente não tem nen­hu­ma toma­da de mui­ta relevân­cia, que na maio­r­ia das vezes são bem sem graças (difer­ente das exibidas na divul­gação). Aliás, grande parte das piadas não tem mui­ta graça, pois apela para todos os chavões já extrema­mente bati­dos. Para o públi­co infan­til isso não deve ser um prob­le­ma, mas quem é fã de ani­mação fica com um sen­ti­men­to de repetição angus­tiante.

Estou bas­tante divi­do em comen­tar a respeito do 3D no Meu Mal­va­do Favorito. Quan­do o filme acabou, tiran­do uma ou out­ra cena, como a da mon­tan­ha rus­sa, prati­ca­mente não tin­ha perce­bido muito o seu efeito. Fiquei em dúvi­da se ele foi tão bem uti­liza­do que ficou tão nat­ur­al, onde não se nota­va que foi pro­duzi­do, ou se ele prati­ca­mente não foi uti­liza­do. Se você já viu o filme, gostaria de saber a sua opinião a respeito dis­so. O que teve de mais 3D para mim, foram as peque­nas ani­mações inseri­das no fim do lon­ga, onde cer­tos os per­son­agens ten­tam “alcançar fora da tela”, que ficou uma brin­cadeira muito legal.

A dublagem de Meu Mal­va­do Favorito ficou pés­si­ma (a dublagem dos per­son­agens prin­ci­pais foram feitos por dois dubladores não profis­sion­ais, mas sim “atores globais”), com­pro­m­e­tendo demais o humor do filme. Como somente serão vin­cu­ladas cópias dubladas nos cin­e­mas, o jeito é esper­ar sair em DVD a ver­são leg­en­da­da. A tril­ha sono­ra em ger­al, tam­bém não ficou boa, fal­tan­do prin­ci­pal­mente na manutenção do rit­mo das tomadas (difer­ente do que foi exibido nos trail­ers, como algo bem ani­ma­do).

O som do cin­e­ma onde assisti o filme (Cine­plus Jardim das Améri­c­as) esta­va hor­rív­el, muito estoura­do, com os diál­o­gos as vezes muito baixos e a tril­ha sono­ra muito alta. Não dava para dis­tin­guir o que pode­ria ter sido prob­le­ma do cin­e­ma ou do lon­ga. Como até ago­ra, pelo que eu já li, eu fui o úni­co a lev­an­tar esse prob­le­ma, o prob­le­ma não deve ter sido do filme.

O mate­r­i­al extra do filme é muito legal, prin­ci­pal­mente as ani­mações com Min­ions. Logo abaixo do trail­er fiz a com­pi­lação de alguns extras legais. Você pode ver mais no site ofi­cial.

Meu Mal­va­do Favorito é uma óti­ma ani­mação para as cri­anças, elas com certeza irão se diver­tir muito. Mas para um públi­co mais adul­to, prin­ci­pal­mente os fãs de ani­mação, aca­ba sendo, na maior parte do tem­po, ape­nas uma repetição de muito do que já foi pro­duzi­do por aí.

Out­ra críti­cas inter­es­santes:

Trail­er:

Extras:


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emCinema, Críticas e tags , , , , , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Comentários

  1. avatar Mai disse:

    Na boa, eu fui ver saben­do que era pra cri­anças, não esper­a­va nen­hu­ma grande saca­da pra adul­tos, portanto…não me decep­cionei (exce­to pela dublagem!!) e achei graça mes­mo das coisas bobonas-cuti-cuti 😛

  2. avatar Lorena disse:

    Bom, eu já fui ver não queren­do com­parar com Pixar e Dream­works, e saiu uma coisa bem boa até! Sabe, temos que dar um descon­to porque essa foi A PRIMEIRA ANIMAÇÃO DA UNIVERSAL.
    Ficou bonit­in­ha e assistív­el, vamos diz­er. Repi­to, claro que não é tão boa quan­to a Pixar mas se con­tin­uar nesse cam­in­ho a Uni­ver­sal vai mel­ho­rar muito em pouco tem­po.
    Jun­to com a Mai, não me decep­cionei, exce­to pela dublagem (a orig­i­nal é muito mel­hor).

    Mas ten­ho que dis­cor­dar total­mente de você, Daniel, sobre a tril­ha sono­ra e o 3D, pois a tril­ha sono­ra é MELHOR que o próprio filme em si (é muito boa mes­mo) e o 3D, poxa, o 3D ficou muito bom! Não foi que nem Alice que jogavam tudo na sua cara, foi um 3D bem usa­do, sem exagero nen­hum.

    1. avatar Daniel Kossmann Ferraz disse:

      Ain­da acho que como primeira ani­mação eles pode­ri­am ter ino­va­do de algu­ma maneira, já que não é mais uma tec­nolo­gia tão nova quan­to foi quan­do a Pixar começou com o Toy Sto­ry. Mas não deixa de ser váli­do é claro.

      O som do cin­e­ma esta­va hor­rív­el, isso me deixou muito irri­ta­do, mas eu gostei bem mais da tril­ha nos trail­ers do que no filme em si.
      Para mim Alice não teve 3D, de tão ruim que ficou hehe­he Já nesse, como falei, quase não perce­bi, vai ver foi o cin­e­ma tam­bém :S

  3. avatar Débora disse:

    Eu fui pen­san­do em ver o filme e não de quem era a pro­dução.
    Amo ani­mações e nada (ou quase nada) deve ser deix­a­do de lado, sem ser vis­to.
    Ri demais nesse filme.
    As cenas ‘bobas’ são muito engraçadas. Quem con­vive com cri­anças sabe exata­mente do que o filme fala (não ten­ho fil­hos, mas dou aulas para cri­anças, ten­ho sobrin­hos, então…)
    A tril­ha sono­ra tam­bém esta­va legal.
    Sobre a dublagem…bom, dublagem é dublagem, né? Nun­ca fica como o orig­i­nal. Mas não me inco­mod­ou a pon­to de odi­ar.
    Enfim…adorei o filme, ri muito (o que para mim, numa ani­mação para cri­anças é muito impor­tante), me diver­ti. E difer­ente de algu­mas ani­mações, essa é uma para cri­ança mes­mo. Onde as piadas tam­bém serão enten­di­das por cri­anças.
    Vejam aí galera, que vale a pena! 🙂

  4. avatar Breno disse:

    Boooom, acho que estou meio atrasa­do no tocante a época de lança­men­to do filme, mas então, acho que a críti­ca não dev­e­ria ter sido fei­ta de for­ma tão neg­a­ti­va, uma vez que o públi­co alvo deste tipo de filme são as cri­anças, não é de se esper­ar grandes sacadas, piadas inteligentes ou qual­quer coisa do gênero, até pq quem vai ao cin­e­ma ver “Meu Mal­va­do Favorito” e esperan­do encon­trar isso e sai decepcionado,sinceramente, deve ter algum prob­le­ma. Con­cluin­do, pra mim o filme foi óti­mo, a his­to­ria é sim­ples, diver­ti­da e sem falar nos min­ions que são bem engraça­dos, é o tipo de filme que que vc ouve várias pes­soas rindo numa sala de cin­e­ma.

Dossiê Daniel Piza
Spirallab