Livro: Estive em Lisboa e Lembrei de Você – Luiz Ruffato

Estive em Lisboa e Lembrei de Você

Em meados de 2005 foi criado o projeto Amores Expressos. Nele, dezesseis escritores brasileiros viajariam para diversas cidades ao redor do mundo e cada um iria escrever um romance baseado em sua viagem. O projeto causou as mais diversas reações, pois se questionava de onde iria sair o dinheiro para custear as viagens, e se era necessário que saíssem do país para buscar inspiração. Entre esses escritores estava Luiz Ruffato, e o resultado da viagem dele foi o livro Estive em Lisboa e Lembrei de Você.

Polêmicas à parte, Ruffato é bastante conhecido no meio literário contemporâneo. Nascido em Minas Gerais, na cidade de Cataguases, já ganhou diversos prêmios importantes, como o da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e o Machado de Assis, da Fundação Biblioteca Nacional. Algumas de suas obras mais importantes são Eles eram muitos cavalos e a série Inferno Provisório.

Em Estive em Lisboa e Lembrei de Você, Ruffato foi a Lisboa e nos trouxe a história de um rapaz chamado Serginho. Desgostoso com a vida que levava no Brasil, após problemas amorosos e financeiros, ele conversa com seu Oliveira (português residente de sua cidade) e resolve ir para Lisboa “tentar a vida”. Após o choque inicial, Serginho se adapta à vida portuguesa e começa a trabalhar como garçom. Faz amizades, aprende um novo vocabulário e se aventura pela cidade. Logo no início do livro encontramos uma nota do autor dizendo que este foi baseado numa entrevista que ele fez com Sérgio de Souza Sampaio, o Serginho.

Luiz Ruffato tem uma imensa facilidade para retratar cidades. Em Eles eram muitos cavalos ele fala de São Paulo com tamanha intimidade que se pode imaginar que ele seja paulistano. O mesmo acontece com Estive em Lisboa e Lembrei de Você. O autor consegue descrever as diversas particularidades da cidade, com um tom literário que poucos conseguem criar. Sua prosa é bastante fluída, com poucos parágrafos e sua escrita contínua faz com que o leitor entre em contato direto com seus personagens.

Ruffato não criou nenhuma forma nova na Literatura, mas trouxe uma simplicidade envolvente que há muito não víamos na Literatura. E inclusive, o autor esteve entre os finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura 2010, juntamente com nomes da literatura contemporânea como Chico Buarque e Bernardo Carvalho.

Infelizmente, pouca atenção é dada à literatura contemporânea, principalmente nas salas de aula. Muito tem acontecido em nosso meio literário, muitos escritores surgem com obras interessantes e com pensamentos que merecem ser conhecidos. Ruffato tem um papel importante nesse meio, pois suas obras são um ótimo exemplo da literatura contemporânea brasileira, reflexo da socidade que vivemos e dos costumes dessa geração. Apesar de ter ótimos trabalhos publicados ele ainda não é reconhecido pelo grande público. Esperamos que essa situação mude muito em breve.


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emLiteratura, Literatura Nacional, Livros e tags , , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Comentários

  1. […] de um Ababelado, falou sobre O menino que odiava mentira, de M.J. Hyland, e a Michelle, do Interrogação, leu Estive em Lisboa e lembrei de você, de Luiz […]

  2. avatar bianca arrigo munhoz disse:

    eu tenho 10 anos de idade eu estou na 5 serie eu li e adorei este livro e lindo…

  3. avatar bianca arrigo munhoz disse:

    o livro é lindo adorei…

Dossiê Daniel Piza
Spirallab