Moloko

Crítica: Amor à Distância

amor a distancia

Manter um relacionamento à distância não é algo fácil e Amor à Distância (Going the Distance, EUA, 2010), uma comédia romântica dirigida por Nanette Burstein, trata justamente das dificuldades, paranóias e dos bons momentos deste tipo de relação.

Garrett (Justin Long) acabou de levar um fora de sua namorada e vai ao bar afogar suas mágoas junto com os amigos. Lá conhece Erin (Drew Barrymore), uma mulher com quem compartilha certas afinidades, e ela acaba indo para casa dele no final da noitada. No dia seguinte temos a típica situação do “e agora, o que eu faço?” com os dois, durante o café da manhã, afirmando que não querem nada sério, principalmente pelo fato de que Erin vai mudar de cidade em seis meses. Mas eles acabam se vendo com bastante frequência e uma paixão se inicia. Quando finalmente chega a hora de ela ir embora, decidem que vão tentar manter a relação apesar da distância.

Quem já namorou à distância, ou namora, vai se identificar em vários momentos, apesar de que em Amor à Distância parece não existir algo chamado conta telefônica, principalmente por que os personagens principais não seguem aquele padrão perfeitinhos e bem resolvidos em tudo, exceto no amor, muito comum em comédias românticas. Os amigos de Garrett, um deles mora junto com ele, são outro diferencial, principalmente pelos seus gostos diferentes, gerando algumas situações bem engraçadas.

Amor à Distância pode ser resumido basicamente em 3 palavras: bebidas, sexo e romantismo. Qualquer decepção é desculpa para ir ao bar, tudo é relacionado com sexo e há atos “super românticos” realizados por Garrett, um possível namorado dos sonhos para muitas mulheres. Com um humor bem ácido e debochado, que em certos momentos lembra Se Beber Não Case, o filme usa e abusa de piadinhas com teor sexual, que as vezes são bem engraçadas, mas outras totalmente forçadas e ridículas.

Um ponto que chamou atenção em Amor à Distância, foi o destaque dado a banda The boxer rebellion, que é literalmente lançada no filme. Com certeza é um ótimo meio de divulgação, principalmente porque seu estilo musical provavelmente irá agradar ao público alvo do longa.

Com um enredo bem linear, seguindo o padrão da comédia moderna típica, Amor à Distância se destaca justamente por trazer personagens, e situações, mais plausíveis de acontecer no mundo real. Misturando elementos mais femininos e outras vezes mais masculinos, provavelmente o filme irá divertir ambos os públicos, principalmente aqueles apreciadores do gênero.

Quer assistir Amor à Distância de graça? Então participe da Promoção Amor à Distância e concorra a brindes e convites para ver o filme em todo o Brasil.

Outra críticas interessantes:

Trailer:


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emCinema, Críticas e tags , , , , , , , , , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Dossiê Daniel Piza
Spirallab