Crítica: Sexo Sem Compromisso

critica sexo sem compromissoOs velhos, e puritanos, clichês românticos já não funcionam mais com o público mais jovem – duvido que no adulto também – e na tentativa de não perder bilheteria, Holywood tenta se manter atualizado com as novas tendências. Sexo Sem Compromisso (No Strings Attached, EUA, 2011), dirigido por Ivan Reitman e com duas grandes estrelas do cinema americano, tenta ser mais um dos filmes para marcar essa nova geração de relacionamentos.

Adam (Ashton Kutcher) é um homem que não tem muita sorte com mulheres. Emma (Natalie Portman) trabalha em um hospital e não tem muito tempo para outras coisas, principalmente quando se trata de relacionamentos. Os dois são grandes amigos até que um dia decidem adicionar um outro elemento na amizade: sexo.

Sexo Sem Compromisso apesar de não possuir nada de muito original no roteiro, consegue desenvolver bem a história, sendo a duração do filme um pouco maior que a usual, mas sem ser cansativo. Apesar de possuir algumas situações legais, não chega a ser muito engraçado – principalmente se você já viu o trailer que entrega várias delas – mas também não são forçadas, principalmente porque o longa explora muito o jogo de aparências que muitas pessoas utilizam nessas situações.

Os personagens do longa, tentaram, mas não conseguiram sair do usual chichê romântico, como aconteceu por exemplo em Amor e Outras Drogas, apesar de haver um grande potencial para isto. Quando parecia que as coisas poderiam fugir do usual, a oportunidade era logo jogada fora. Além disso, quem já assistiu Você vai Conhecer o Homem dos seus Sonhos do Woody Allen vai perceber que Alvin, o pai de Adam em Sexo Sem Compromisso, ficou idêntico ao Alfie, interpretado por Anthony Hopkins, incluindo a sua relação com uma mulher muito mais jovem.

Para quem gosta de comédias românticas, vai adorar Sexo Sem Compromisso – sem duplos sentidos – pois é um filme bem despretensioso, apesar de não ser original. Já aqueles que gostam de algo mais diferente, não irão se sentir muito incomodados com este, mas se puderem, recomendo também assistirem Tudo Pode dar Certo, do Woody Allen – assim como o outro que recomendei mais acima – que ambos são muito engraçados e inteligentes.

Participe também da Promoção Sexo Sem Compromisso e concorra a convites para ver o filme de graça.

Trailer:


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emCinema, Críticas e tags , , , , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Um Trackback

  1. […] premissa não é muito diferente de Sexo Sem Compromisso (No Strings Attached, EUA, 2011), dirigido por Ivan Reitman, onde dois amigos que não aguentam […]

Comentar

Seu email nunca será publicado ou distribuído. Campos obrigatórios estão marcados com *

*
*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Dossiê Daniel Piza
Spirallab