Moloko

“Os Catecismos Segundo Carlos Zéfiro” em Curitiba

Nos dias 13, 14 e 15 de maio, chega ao palco do Guairinha a montagem “Os Catecismos Segundo Carlos Zéfiro”, após aplaudida temporada no Rio de Janeiro. A peça desvenda um dos mistérios do submundo do mercado editorial carioca — a verdadeira identidade de Carlos Zéfiro — frequentador do melhor da boemia carioca dos anos 50 e 60, fonte inesgotável de inspiração para a criação de mais de 500 contos pornôs, sob a forma de quadrinhos, que fizeram a iniciação sexual de toda uma geração e o transformaram em lenda do erotismo brasileiro.

O enigma da identidade real de Zéfiro é desvendado por meio de uma reportagem investigativa do então editor da revista Playboy, Juca Kfouri, publicada em 1991 na mesma revista masculina, ao ligar a personalidade do artista ao carioca Alcides Caminha, morador da Zona Norte do Rio, considerado um pacato funcionário do Ministério do Trabalho e pai de cinco filhos. Casado desde os 25 anos com Dona Serat, Alcides Caminha trabalhou no setor de Imigração do Ministério do Trabalho e sempre escondeu a dupla identidade por medo de perder a aposentadoria – havia uma lei que condenava as chamadas “condutas escandalosas” dos servidores públicos.

Os Catecismos Segundo Carlos Zéfiro” retoma a parceria de Paulo Biscaia Filho e da atriz Clara Serejo, que trabalharam juntos quando a atriz produziu um espetáculo da companhia Vigor Mortis, e teve sequência em 2009 com a peça “A janela e o jardim”. Contemplada com patrocínio pelo edital da Eletrobrás, Clara teve longa jornada até obter a autorização da família para encenar a história sobre a vida de Alcides/Zéfiro: “não foi fácil conseguir os direitos de adaptação, mas valeu muito a pena. A história do Zéfiro é linda, muito interessante, eu precisava encená-la”. Biscaia, por sua vez, ganhou uma bolsa da Funarte para escrever o texto: “o Carlos Zéfiro é um mito do erotismo nacional, e é um prazer levar a história dele para os palcos”, admite o diretor, que utilizou a fusão das artes cênicas com o cinema para contar a história deste obscuro e popular artista.

Além de Leandro Daniel Colombo, como Juca, e Clara Serejo, no papel de Irene — mulher emblemática que representa as musas do artista -, compõem o elenco Marino Rocha, que vive Gordo, o livreiro que vendia os “catecismos” e manteve pacto de sangue de jamais revelar a verdadeira identidade de Zéfiro; Mariana Cônsoli, como Serat Caminha, esposa do artista; Rafa de Martins, como Carlos Zéfiro; e Martina Gallarza e Jandir Ferrari, que interpretam em cena alguns textos escritos pelo autor.

Compositor eventual, parceiro de Nelson Cavaquinho e Guilherme de Britto, Caminha/Zéfiro foi autor da letra de “A rosa e o espinho”, mas não fez questão de levar o crédito pela obra. Esse detalhe foi, curiosamente, a principal pista que levou Juca a descobrir a verdadeira identidade de Zéfiro.

Serviço:
Os Catecismos Segundo Carlos Zéfiro
Datas e horários: 13,14 de maio, às 21h e 15 de maio, às 19h.
Local: Guairinha — Rua XV de novembro s/no
Informações: (41) 3304 7982
Valor do ingresso: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Duração: 80min.
Classificação indicativa: 18 anos

Paulo Biscaia Filho – autor e diretor — Graduado em Artes Cênicas pela PUC-PR e Mestre em Artes pela Royal Holloway University of London, Paulo Biscaia Filho é professor dos Cursos de Teatro e Cinema da Faculdade de Artes do Paraná. Durante nove anos, trabalhou na Cinemateca de Curitiba como Programador de Cinemas, Coordenador e Consultor de Audiovisual. Atua também como diretor, roteirista e editor de audiovisuais. Diretor de diversas montagens teatrais, como: “Morgue Story” (2004, Troféu Gralha Azul de Melhor Diretor, Texto Original e Sonoplastia), “Graphic” (2006–2007, vencedor do Troféu Gralha Azul de Melhor Espetáculo de 2006 e também nas categorias de Direção e Texto e indicado ao Prêmio Shell de Autor) e “Hitchcock Blonde” (2008). Seu primeiro longa metragem, “Morgue Story — Sangue Baiacu e Quadrinhos“ ganhou prêmios nos festivais Montevideo Fantástico (Uruguai) e Swansea Bay Film Festival (País de Gales, Grã-Bretanha). Indicado ao Prêmio Shell de melhor autor por “Graphic”, seu último espetáculo no Rio de Janeiro foi “Janela e Jardim”, de 2009. Paulo fundou a polêmica companhia teatral e produtora Vigor Mortis em 1997, com alguns de seus alunos do Curso de Artes Cênicas da Faculdade de Artes do Paraná.

Clara Serejo — Atriz e produtora cultural, formada pela faculdade de Artes do Paraná em Educação Artística — Artes Cênicas e pós-graduada em Cinema pela mesma instituição. Fez parte do Núcleo de pesquisa do ACT – Ateliê de Criação Teatral, coordenado pelo ator Luis Melo, em Curitiba onde participou de diversas mostras de trabalho, entre elas: “Cartas de Ligia Clarke e Helio Oiticica”, “Danças Sufis” e “Processo CãoCoisa”, dirigido por Aderbal Freire-Filho. Ao voltar para o Rio de Janeiro, estreou o espetáculo “A Janela e o Jardim”, no Espaço SESC e Participou de diversos programas na TV Globo. Com sua empresa ClaMa! Produções Artísticas realizou produções, teatrais, educacionais e audiovisuais de grande importância. Dentre elas destacam-se a Coordenação do Projeto Cinema BR em Movimento no Estado do Paraná e a Parceria firmada com a Cia. Vigor Mortis, como colaboradora do Núcleo Rio de Janeiro.

Ficha técnica:
Texto e Direção: Paulo Biscaia Filho
Elenco: Clara Serejo, Leandro Daniel Colombo, Rafa de Martins, Jandir Ferrari, Martina Gallarza, Marino Rocha e Mariana Consoli.
Idealização: Clara Serejo
Pesquisa: Clara Serejo e Paulo Biscaia Filho
Assistência de Direção: Leandro Daniel Colombo
Cenografia: Carla Berri
Assistência de Cenografia: Cristine Conde
Figurino: Carla Berri e Cristine Conde
Trilha Sonora Pesquisada e Vídeo: Paulo Biscaia Filho
Iluminação: Wagner Corrêa
Preparação Corporal: Malin Valpassos
Preparação Vocal: Babaya
Visagismo: Vavá Torres
Fotos: Marco Novack
Programação Visual: Leonardo Pimentel
Assistência de Diagramação: Felipe Gallarza
Cenotécnica: Zé Maranhão e Equipe
Costureira: Isaura e Equipe
Realização: ClaMa! Cia. de Teatro
Parceria: Vigor Mortis
Produção: ClaMa! Produções Artísticas
Direção de Produção: Isabel Themudo
Produção Local: Martina Gallarza e Diego Marchioro
Assessoria de Imprensa: Flamma Comunicação
Operação de Som e Vídeo: Marco Novack
Operação de Luz: Wagner Corrêa
Camareira: Luci Moreira
Cabeleireira: Lalá
Contra – Regras: Jozir Lopes e Anderson Ribeiro (Lula)


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emNotícias de Eventos e tags , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Comentários

  1. […] é um pouco autista. Música: Kylesa – Sim, acordei bastante doentia Comida: Feijoada Teatro: Os Catecismos Segundo Carlos Zéfiro — direção de Paulo […]

Spirallab