Crítica: O Exótico Hotel Marigold

Você já imag­i­nou como serão seus dias quan­do se aposen­tar? Via­jar e acal­mar o rit­mo da vida estão entre as ativi­dades preferi­das de quem está na mel­hor idade. Mas um grupo de sete idosos ingle­ses resolve des­fru­tar seus dias longe de casa, na India, em um paraí­so anun­ci­a­do como O Exóti­co Hotel Marigold (The Best Exot­ic Marigold Hotel, Inglater­ra, 2011) que dá o nome do lon­ga dirigi­do por John Mad­den e basea­do no romance These Fool­ish Things (algo como “Estas coisas bobas”) de Deb­o­rah Mog­gach.

Com o din­heiro cur­to, mes­mo ten­do tra­bal­ha­do uma vida inteira, a aposen­ta­do­ria do pequeno grupo que pro­tag­on­i­za o lon­ga nem de longe parece ser a mais son­ha­da durante a vida. Cheios de dile­mas que car­regam con­si­go, estão deci­di­dos a mudar de algu­ma for­ma. Cada um, com sua própria neces­si­dade, é seduzi­do pela pro­pos­ta de pas­sar o resto da vida em um lugar exóti­co e pul­sante, bem difer­ente da fria e buro­cráti­ca Inglater­ra que viver­am toda a vida.

O hotel Marigold fica na cidade de Jaipur, na India e o jovem Son­ny (Dev Patel) tem o son­ho de trans­for­ma-lo em um exóti­co resort para idosos do mun­do todo que procu­ram algo difer­ente das suas vidas comuns. E os sete primeiros hós­pedes serão per­feitos para a empre­ita­da do jovem que tam­bém vive o dile­ma de morar num país que tem um pé no pas­sa­do das tradições e out­ro na cres­cente mod­ern­iza­ção.

O Exóti­co Hotel Marigold é nar­ra­do por Eve­lyn Greens­dale (Judy Dench) que tem um blog e nar­ra os dias e adap­tação em Jaipur. Ela nar­ra as trans­for­mações dela e de todos os per­son­agens que estão em ver­dadeiros momen­tos de tran­sição em que não somente a vel­hice é uma questão, mas tam­bém se ain­da res­ta tem­po de faz­er coisas que gostam, enten­der o sen­ti­do de feli­ci­dade e usufruirem dela.

O enre­do de O Exóti­co Hotel Marigold é con­struí­do com bas­tante lev­eza, mes­mo que em alguns momen­tos o espec­ta­dor ten­ha a impressão que há desen­volvi­men­tos um pouco banais de algu­mas situ­ações. Mas de for­ma nen­hu­ma isso enco­bre a atu­ação do elen­co que parece estar muito bem com a sua idade — lem­bran­do que ele é for­ma­do por nomes como Tom Wilkin­son e Mag­gie Smith — dan­do bas­tante graça ao filme e atuan­do jun­to com o elen­co jovem como Dev Patel (Quem quer ser um Mil­ionário) que aparenta ter uma que­da pela comé­dia e que cria um equi­lib­rio inter­es­sante entre o grupo britâni­co e seus cos­tumes indi­anos apre­sen­ta­dos de for­ma bas­tante cria­ti­va.

A India atu­al pode ser bem difer­ente dos livros de História e pan­fle­tos de tur­is­mo e é exata­mente esse mun­do de con­trastes que o grupo encon­tra assim que desem­bar­ca no país. As cenas da caóti­ca e exu­ber­ante cidade de Jaipur são mostradas na mes­ma veloci­dade em que os tok tok (moto­ci­cle­tas adap­tadas) atrav­es­sam as ruas, com muitas cores e a mis­tu­ra do anti­go e do novo na arquite­tu­ra local, for­mam o cenário para as peripé­cias emo­cionais do grupo. O lon­ga soma pon­tos usan­do uma fotografia bem nat­ur­al e deixan­do por con­ta do próprio lugar com sua geografia e espaço social darem o tom dos cenários. Afi­nal, a India esteve sob o dominio britâni­co no pas­sa­do o que ini­ciou a tran­sição das tradições milenares para a adap­tação à cos­tumes oci­den­tais.

Aliás, é jus­ta­mente esse con­tex­to con­trastante que o grupo, com cos­tumes à moda ingle­sa bem enraiza­dos, se depara que con­strói a beleza do lon­ga. Trazen­do à tona o fato de que adap­tações e mudanças são bem-vin­das em qual­quer momen­to e que nada está molda­do em úni­co for­ma­to para sem­pre. O Exóti­co Hotel Marigold é um lon­ga sim­ples mas alta­mente sen­sív­el, que mostra e apos­ta em um novo públi­co e que com certeza vai agradar quem vai ao cin­e­ma em bus­ca de algo mais cal­mo ao meio de tan­to efeito espe­cial e barul­ho. Não vai mudar a sua vida, mas vai te faz­er pen­sar onde você vai quer­er estar no futuro.

Trail­er:


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emCinema, Críticas e tags , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Comentários

  1. avatar Clarissa disse:

    Ador­ei o post.
    Já viu a pági­na ofi­cial? Tem muitos detal­h­es da fil­magem, pode te ren­der mais um tex­to.
    https://www.facebook.com/oexoticohotelmarigold

Dossiê Daniel Piza
Spirallab