A criação de Pico do Petróleo, parte 1: minha escolha do tema

Acabo de lançar meu mais recente e maior quadrin­ho, o Pico do Petróleo.

Man­ten­do min­ha tradição de pub­licar arti­gos sobre a cri­ação de meus tra­bal­hos, dis­cu­tirei aqui min­has reflexões sobre o proces­so cria­ti­vo do Pico do Petróleo.

Este é o primeiro, de uma série de sete arti­gos, que abor­dam vários aspec­tos do proces­so de cri­ação dos quadrin­hos.

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-1

Meu papel como cartunista-comunicador de ciências

Como um car­tunista-comu­ni­cador de ciên­cias, eu escol­ho delib­er­ada­mente tópi­cos que são pouco com­preen­di­dos pelo públi­co em ger­al.

Meu obje­ti­vo é atrair tem­po­rari­a­mente a atenção dos leitores através de quadrin­hos pro­fun­dos e bem desen­hados, e depois desviar essa atenção de mim e dire­cioná-la para espe­cial­is­tas que têm soluções e infor­mações abrangentes.

Flavor Flav e Chuck D., do grupo de hip hop norte-americano Public Enemy

Fla­vor Flav e Chuck D., do grupo de hip hop norte-amer­i­cano Pub­lic Ene­my

Em out­ras palavras, sou uma espé­cie de Fla­vor Flav, e Hub­bert, de Chuck D.

Sou ape­nas um hype-man para a ‘voz da autori­dade’, M. King Hub­bert.

Hub­bert: “Não acred­ite no hype sobre o cresci­men­to da pro­dução de petróleo!
McMillen: “Yo Hub, eles devem estar fuman­do um, tá lig­a­do?

Escolhendo um tema sobre o qual o público tem pouco conhecimento

O Pico do Petróleo é um exce­lente exem­p­lo de um tema impor­tante que é mal com­preen­di­do pelo públi­co em ger­al. Ten­ho con­hec­i­men­to do prob­le­ma há 10 anos e ain­da me deparo com uma ignorân­cia gigan­tesca ao falar com out­ras pes­soas sobre o assun­to:

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-3

  • Ah, o petróleo vai acabar? Bom, nós podemos sim­ples­mente mudar para out­ro com­bustív­el.”
  • Mas eu ouvi diz­er que encon­traram um novo cam­po de petróleo enorme na cos­ta [do Brasil, da Rús­sia, da Suazilân­dia…].”
  • Mas o preço baixou. Prob­le­ma resolvi­do, cer­to?”
  • Óti­mo! Mal pos­so esper­ar pelo Pico do Petróleo! Final­mente os árabes vão falir!”

Ess­es são exem­p­los do calei­doscó­pio de respostas mal infor­madas que ouço sem­pre que cito o Pico do Petróleo, ou out­ras questões rela­cionadas à sus­tentabil­i­dade energéti­ca.

Meu quadrin­ho não abor­da questões mês-a-mês, como a que­da do preço de Dezem­bro de 2014. Tam­bém não entra em temas impor­tantes como EROEI (sigla em inglês para Ener­gia Retor­na­da sobre Ener­gia Investi­da).

Eu que­ria que meu quadrin­ho fos­se mais “gen­er­al­iza­do e atem­po­ral”, em vez de “atu­al, mas prestes a se tornar obso­le­to”.

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-4

Meu objetivo: criar a cartilha definitiva sobre o Pico do Petróleo

Eu sabia que não con­seguiria pro­duzir um com­pên­dio abso­lu­to sobre o Pico do Petróleo por meio de um quadrin­ho. Eu não pode­ria sim­ples­mente incluir todos os fatos, números e nuances do assun­to.

Em vez dis­so, deci­di escr­ev­er a car­til­ha defin­i­ti­va sobre o Pico do Petróleo, que fun­cionar­ia para o leitor como um cur­so bási­co de 20 min­u­tos sobre o tema.

Meu obje­ti­vo era faz­er um quadrin­ho que lev­asse uma pes­soa com nen­hum con­hec­i­men­to sobre o Pico do Petróleo a uma com­preen­são razoáv­el den­tro de 20 min­u­tos.

Mais impor­tante: eu que­ria que fos­se um recur­so online gra­tu­ito, disponív­el no maior número pos­sív­el de idiomas, depen­den­do ape­nas de quan­tos tradu­tores vol­un­tários eu con­seguisse recru­tar. Ele está disponív­el atual­mente em francês, alemão, espan­hol, chinês, por­tuguês do Brasil e out­ros idiomas (clique na ‘ban­deira’ no can­to dire­ito supe­ri­or do meu web­site: en_GB).

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-5

Uma plataforma de lançamento para pesquisa independente

Espero que, após lerem meu quadrin­ho, os leitores sin­tam o dese­jo de apren­der mais sobre o assun­to por meio de suas próprias pesquisas e reflexões.

É através delas que as pes­soas enten­derão a EROEI (Ener­gia Retor­na­da sobre Ener­gia Investi­da, em inglês). É através da pesquisa que as pes­soas perce­berão que a que­da de preços em dezem­bro de 2014 não altera o prob­le­ma fun­da­men­tal: de que nós esta­mos queiman­do petróleo a uma veloci­dade muito maior do que o proces­so geológi­co da Ter­ra o regen­era.

Meu quadrin­ho leva os leitores à metade do cam­in­ho do con­hec­i­men­to, mas con­ta que eles com­ple­tarão a jor­na­da por con­ta própria.

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-6

Pico do Petróleo: o irmão incompreendido do aquecimento global

Na min­ha exper­iên­cia, a maio­r­ia das pes­soas já ouviu falar de aque­c­i­men­to glob­al, mas nun­ca ouviu falar do Pico do Petróleo. O que é uma grande ver­gonha, pois acred­i­to que ambos os fenô­menos têm a mes­ma importân­cia. Além dis­so, ess­es dois fenô­menos provavel­mente acon­te­cerão simul­tane­a­mente.

Uma vez que o públi­co já detém um con­hec­i­men­to sóli­do sobre o aque­c­i­men­to glob­al, tratei o Pico do Petróleo como um fenô­meno iso­la­do no meu quadrin­ho.

Na real­i­dade, o Pico do Petróleo e o aque­c­i­men­to glob­al serão fenô­menos politi­ca­mente rela­ciona­dos, com influên­cias de um resp­in­gan­do no out­ro.

O Pico do Petróleo vai acon­te­cer inde­pen­dente do aque­c­i­men­to glob­al e vice-ver­sa. Mas ser­e­mos força­dos a con­sid­erá-los como parte de um prob­le­ma interli­ga­do.

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-7

Por exem­p­lo, a neces­si­dade de descar­bonizar nos­sas econo­mias pode resul­tar em uma “bol­ha de car­bono não-uti­lizáv­el” de com­bustíveis fós­seis cuja queima con­sid­er­amos incon­ce­bív­el, dado aos con­heci­dos efeitos do aumen­to de gas­es do efeito-est­u­fa. Isso resp­in­gará nos mer­ca­dos de ações, e então, em econo­mias maiores.

Nes­sa situ­ação, a incli­nação da “mon­tan­ha-rus­sa” será muito difer­ente do fun­ciona­men­to da cur­va do Pico do Petróleo. Podemos ser obri­ga­dos a reduzir rap­i­da­mente a nos­sa uti­liza­ção de petróleo, con­stru­in­do uma mon­tan­ha-rus­sa que cai rap­i­da­mente e deixan­do muitas de nos­sas ‘tre­liças’ tran­cadas no estoque.

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-8

Ess­es são cenários além da min­ha pre­visão, e além do escopo do quadrin­ho. Com o Pico do Petróleo eu quis sim­ples­mente aumen­tar o con­hec­i­men­to públi­co sobre o fenô­meno de Hub­bert, para que dis­cussões bem infor­madas pos­sam ser feitas sobre as decisões que pre­cisam ser feitas.

criacao-pico-do-petroleo-1-tema-9

Um chamado para apoiadores

Se você dese­jar, pode con­tribuir para a sua próx­i­ma exper­iên­cia de leitu­ra de quadrin­hos no stuartmcmillen.com

Caso pos­sa, por favor, com­pre uma cópia de $5 do Pico do Petróleo via Pay­Pal, cartão de crédi­to ou Bit­coin. Caso dese­je faz­er uma doação maior, bas­ta edi­tar o val­or de $5 no car­rin­ho de com­pras. Uma out­ra alter­na­ti­va é se tornar um apoiador men­sal via Patreon.com. Des­de já, agradeço!

Outros artigos sobre a ‘criação do Pico do Petróleo’

Este é o primeiro, de uma série de sete arti­gos, que abor­dam vários aspec­tos do proces­so de cri­ação dos quadrin­hos. O próx­i­mo da série é A Cri­ação do Pico do Petróleo, parte 2: a filosofia do sto­ry­telling.

 

Tradução: Alana Car­val­ho
Revisão: Daniel Koss­mann Fer­raz e Mara Vanes­sa Tor­res
O inter­ro­gAção é o tradu­tor ofi­cial do Stu­art McMillen. (Tex­to Orig­i­nal)


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emHQs, Stuart McMillen e tags , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Spirallab