Zero

Como pode nada virar algu­ma coisa?


Ape­sar de todos nós nascer­mos da mes­ma matéria, não somos iguais. Nos­sas difer­enças vão des­de coisas mais gerais como época, país e religião, a coisas mais especí­fi­cas como família, casa e esco­la. Tudo isso nos tor­na úni­cos e depen­den­do das nos­sas aspi­rações, opor­tu­nidades e per­se­ver­ança, podemos trans­por várias dessas var­iáveis que de cer­ta for­ma nos clas­si­fi­cam e limi­tam. Mas e se as nos­sas opor­tu­nidades fos­sem lim­i­tadas a uma car­ac­terís­ti­ca de nascença? Esta é a pre­mis­sa do cur­ta ani­ma­do Zero (Aus­tralia, 2010), escrito e dirigi­do por Christo­pher Keze­los e pro­duzi­do pela Zeal­ous Cre­ative.

Em cer­ca de 11 min­u­tos de duração, acom­pan­hamos a história de Zero, que nasceu com o número 0 crava­do em seu peito e por con­ta dis­so tem qual­quer pos­si­bil­i­dade de crescer nega­do em uma sociedade divi­di­da por ess­es números. Ao con­hecer uma mul­her que tam­bém é um zero, o número que tan­to o perseguia acabou não sendo tão impor­tante. Mas o amor entre eles era proibido e logo as autori­dades dari­am um jeito para sep­a­rá-los. Então que uma grande sur­pre­sa surge…

O cur­ta já gan­hou mais de 15 prêmios ao redor do mun­do e pos­sui leg­en­da para mais de 40 idiomas. No site ofi­cial é pos­sív­el encon­trar várias infor­mações inter­es­santes não só dos prêmios e críti­cas escritas a seu respeito, incluin­do uma do Matt Groen­ing cri­ador dos Os Simp­sons, mas tam­bém de como foi todo o proces­so de cri­ação da ani­mação, além de vários vídeos com dire­ito a ver­são comen­ta­da. O estú­dio tam­bém criou o lin­do cur­ta The Mak­er, que já pub­li­camos aqui no site.


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emCurta do Mês e tags , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Spirallab