Zero

Como pode nada virar alguma coisa?


Apesar de todos nós nascermos da mesma matéria, não somos iguais. Nossas diferenças vão desde coisas mais gerais como época, país e religião, a coisas mais específicas como família, casa e escola. Tudo isso nos torna únicos e dependendo das nossas aspirações, oportunidades e perseverança, podemos transpor várias dessas variáveis que de certa forma nos classificam e limitam. Mas e se as nossas oportunidades fossem limitadas a uma característica de nascença? Esta é a premissa do curta animado Zero (Australia, 2010), escrito e dirigido por Christopher Kezelos e produzido pela Zealous Creative.

Em cerca de 11 minutos de duração, acompanhamos a história de Zero, que nasceu com o número 0 cravado em seu peito e por conta disso tem qualquer possibilidade de crescer negado em uma sociedade dividida por esses números. Ao conhecer uma mulher que também é um zero, o número que tanto o perseguia acabou não sendo tão importante. Mas o amor entre eles era proibido e logo as autoridades dariam um jeito para separá-los. Então que uma grande surpresa surge…

O curta já ganhou mais de 15 prêmios ao redor do mundo e possui legenda para mais de 40 idiomas. No site oficial é possível encontrar várias informações interessantes não só dos prêmios e críticas escritas a seu respeito, incluindo uma do Matt Groening criador dos Os Simpsons, mas também de como foi todo o processo de criação da animação, além de vários vídeos com direito a versão comentada. O estúdio também criou o lindo curta The Maker, que já publicamos aqui no site.


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emCurta do Mês e tags , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Spirallab