Peça “Branca de Neve em: Libelo Contra Vênus” em Curitiba

Peça que estreou no Festival de Curitiba 2013 volta em cartaz com apenas duas apresentações

Foto 1

Volta em cartaz com apenas duas apresentações na Casa Selvática a peça “Branca de Neve em: Libelo Contra Vênus”. A peça que estreou no Festival de Curitiba 2013, articula, como pano de fundo, a história de uma apresentadora de TV que é obrigada a sorrir sob quaisquer circunstâncias. Ela é o arquétipo da mulher que a tradição da fábula ajudou a instituir e que o grupo teatral curitibano Sociedade Secreta Papa Joana, núcleo artístico composto de artistas residentes da Casa Selvática, tem estudado ao olhar para as camadas do feminino na sociedade contemporânea. Daí que sua estética de cena se utiliza dos arquétipos encontrados em cartas de tarô, na mídia televisiva e em contos de fada, numa investida não só temática mas temporal de pesquisa.

“Branca de neve em: Libelo Contra Vênus” é a segunda peça que a atriz Danielle Campos dirige em sua carreira. O cenário, cheio de pequenos objetos, ao mesmo tempo em que reproduz, ironiza o ambiente de um programa matinal televisivo para donas de casa ao misturar, entre panelas e legumes, pequenas estatuetas de anões. A pesquisa do grupo Papa Joana acaba descobrindo pulsões femininas contraditórias entre si e a diretora introjetou de tal maneira essas pesquisas que foi necessário dividir seu talento em duas mulheres – na direção de Branca de Neve, quem assume é o alter ego, o duplo de Danielle Campos: Daniela Passarinho – será ela uma apresentadora de TV? A estreia dela como diretora fora em 2012 com a peça “Medea: um Espetáculo Transgênero, Vingativo e Gotejante”, uma adaptação polêmica da tragédia de Eurípides que foi absoluto sucesso de público na Mostra do Coletivo de Pequenos Conteúdos do Festival de Curitiba de 2013. Em Medea já transpareciam influências estéticas ilustres que em Branca de Neve são potencializadas: do ator, diretor e habitante da Casa Selvática, Ricardo Nolasco (que atuou em Medea) e de Mauro Zanatta, premiado ator e diretor da Cia do Ator Cômico, da qual a atriz e diretora fez parte.

Casa Selvática é um espaço artístico e centro de pesquisas aberto em março de 2012. Reúne mais de 20 artistas residentes que compartilham seus processos criativos e desenvolvem projetos destinados a investigação de novas linguagens, sejam elas para a dança, teatro, literatura, artes visuais e performáticas, bem com suas respectivas fusões.

FICHA TÉCNICA
Texto: Danielle Campos
Direção: Daniela Passarinho
Iluminação: Everton Britto
Sonoplastia e assistência técnica: Alexandre Lautert
Maquiagem: Angela Stadler
Cenário e Figurino: Sociedade Secreta Papa Joana

Estrelando: Janaína Fukushima e Daiane Cristina.

SERVIÇO:
Branca de Neve em: Libelo Contra Vênus
Dias 25 e 26/05, sábado e domingo às 20h
R$ 10 (estudantes R$ 5)
Aceitamos somente dinheiro ou cheque
Local: Casa Selvática
Fone: 3013 5188
Rua Nunes Machado 950, Rebouças (próximo a praça Ouvidor Pardinho)
Tempo estimado de duração da peça: 60 minutos
Classificação Indicativa: 10 anos
A bilheteria abrirá 18:30h, venha beber algo adequado para o outono
Vagas pra estacionamento na rua em frente à Casa Selvática. Temos estacionamento para bicicletas.


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emNotícias de Eventos e tags , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Spirallab