O Pássaro-do-Sol ressurge das cinzas | Editorial

Depois de um longo hiato, o interrogAção volta renovado e pronto para superar novos desafios

O nome interrogAção surgiu no início de 2009 para um projeto de compartilhamento de aprendizados (depois apelidado carinhosamente de “Universidade Pirata”), que acabou não vingando, mas o seu conceito (de interrogar e agir) ficou e não saiu mais da minha cabeça. Decidi então resignificá-lo alguns meses depois como um blog para compartilhar algumas traduções que havia feito pelo simples e puro prazer de poder torná-las mais acessíveis, necessidade que ficou mais eminente pricipalmente depois de ler e traduzir o quadrinho “Entretendo-nos até a morte“, do Stuart McMillen, que me marcou profundamente na época.

Essa e mais outras duas traduções (“Cozinha Caseira” e “O Kama Sutra da Leitura“, que foi a primeira que fiz muitos anos antes) foram publicadas em julho de 2009, e depois acabei não alimentando mais o espaço. Foi só no início de 2010 que resolvi parar de deixar este espaço como uma grande interrogação na vida e finalmente assumir a ação que estava adormecida dentro daquela palavra. Como já fazia anos que queria escrever sobre filmes, mas ainda não tinha tomado a iniciativa, decidi que este seria um bom início para, finalmente, colocar o projeto em prática. Assim, com a ajuda do amigo Joba Tridente, escrevi minhas primeiras críticas de cinema. Foi dessa forma que, há exatamente quatro anos, em uma madrugada de hiperatividade cultural, publiquei às 0 horas (um bom marco para um início) a crítica “Hanami – Cerejeiras em Flor“, texto que não só oficialmente lançou o interrogAção, mas também mudou completamente minha vida.

Depois de 12 críticas de filmes publicadas, o blog estava começando a receber mais visitas e a ter um retorno muito positivo de amigos e visitantes. Aí pensei, por que não assumir o projeto como um espaço colaborativo onde a cultura seria refletida por várias perspectivas? Foi assim que o interrogAção passou de um blog pessoal para um portal cultural. Aos poucos os colaboradores foram aparecendo e as novas possibilidades se concretizando. O foco do site deixou de ser apenas cinema, contracultura e quadrinhos, expandindo para literatura e a cobertura de eventos. Todas essas mudanças tiveram como fonte de energia a paixão pelo compartilhamento e pela reflexão da cultura, sem qualquer retorno financeiro.

Como todo projeto, o interrogAção também teve vários altos e baixos durante esses quatro anos. Passamos por momentos de extrema empolgação e produção ao conseguir acesso para cobrir eventos como a Bienal do Livro do Rio e o Festival de Verão de Cinema do RS, até encarar um intervalo de meses com publicações escassas por conta da falta de tempo dos integrantes (faculdade, trabalho e vida pessoal). Em 2013, o portal passou por um desses choques, onde houve um hiato significativo devido a uma grande mudança na equipe. Felizmente, em novembro do mesmo ano, o projeto foi lentamente passando por uma reestruturação interna, para surgir em 2014 totalmente transformado, como uma fênix revigorada saindo das cinzas.

Além da nova equipe do portal, composta também pela editora-executiva Mara Vanessa e pelos redatores Aristides Oliveira e Marilia Kubota, outro grande sinal desta nova fase é a estreia deste editorial mensal que, depois de quatro anos, finalmente entrará em ação. Várias outras novidades estão por vir, então prepare-se, pois viemos para, no mímino, sacudir o cenário do jornalismo cultural digital. E para finalizar, nada melhor do que entoar em alto e bom som o grito de comemoração de aniversário deste ano: Para o alto e avante, interrogAção!


Todas as informações e opiniões publicadas no interrogAção não representam necessariamente a opinião do portal, e são de total responsabilidade dos seus respectivos autores.
 
Este post foi publicado emEditorial e tags , , , , , . Bookmark o permalink. Comentar ou deixar um trackback:Trackback URL.


Spirallab